Bem vindo à nossa Home Page! Você está acessando a página do Conselho dos Detetives do Brasil, órgão de seleção, disciplina, defesa, coordenação e fiscalização da classe dos Detetives Particulares do Brasil (art. 1. Do Estatuto do C.D.B.).

Terá a oportunidade de conhecer de acordo com o que clicar no menu ao lado, todos os nomes dos verdadeiros detetives legalmente reconhecidos pelos Conselhos Regionais de cada estado, e suas Agências de Investigações.

Saberá quais os procedimentos necessários para registrar-se como Detetive e tornar-se membro de uma entidade séria e respeitada em todo o país, existente a mais de 24 anos e que já ficou notóriamente conhecida pelas lutas de seu fundador em defesa da classe dos Detetives, atos que, hoje, tem garantido o livre exercício da Investigação Privada no Brasil.

Em 23 anos, apenas 700 detetives foram credenciados, tal é o rigor da seleção e da escolha dos profissionais, de maneira que, não temos registro nesse periodo que deponha contra nossos profissionais sérios, honestos e dedicados aos seus clientes!

Fundado em 07 de Junho de 1987, na cidade de Campo Grande, Estado do Mato Grosso do Sul, na forma da Lei Federal 6.015, de 31/12/73 o Conselho dos Detetives do Brasil, juntamente com os seus Conselhos Regionais nos Estados (de fato e de direito), teve publicada a sua criação no Diário Oficial do Estado, em 22 de Junho de 1987 e Diário Oficial da República, em 14 de Agosto de l.987, respectivamente.

Foi reconhecido de utilidade pública pelas Leis 2.460 de 03/05/88 Diário Oficial de 04/05/88 e 1005 de 16/11/89 e Diário Oficial de17//11/89.

Presidente Federativo: Det.
Walmir F. Battu

atendimento@walmirbattu.com

atendimento@conselhodosdetetivesdobrasil.org


P O R T A R I A  N. 001/2011

 

 

 

O Presidente do Conselho dos Detetives do Brasil,

entidade associativa profissional, na forma da

Constituição Federal, Art. 8. Incisos I, II e III,

e de acordo com o estatuto do CDB e seu

Regulamento Geral,

Resolve:

 

 

 

Art. 1.

Considerando a necessidade urgente em selecionar e instituir uma melhor qualidade de ensino profissional aos interessados na carreira de Detetive Particular, primando pelo alto nível de formação e esmero cultural das Escolas e Academias, estabelece como regra basilar a essas instituições, os seguintes requisitos:

 

Parágrafo Primeiro:

 

O curso de formação de Detetive Particular, deverá conter preferencialmente em seu curriculum de ensino, história da profissão, matérias de introdução ao direito usual, nas disciplinas de Direito Civil, Processual Civil, Direito Penal, Processual Penal, noções de Direito Trabalhista, Inquérito Policial, Técnicas de Investigações Civis e Criminais, noções de Medicina Legal, Criminalística, Psicologia Forense, noções de Perícia Civil e Perícia Criminal, organização do escritório de trabalho, publicidade e propaganda, entrevista com o cliente, planejamento e orçamento dos honorários, contrato de prestação de serviço, diligências, dossiês, relatório, provas em geral, uso de documentos como prova, fotos, filmagens, gravações legais, provas espúrias, código de ética do CDB e conhecimento do Estatuto do Detetive, expedição e registro do diploma, entre outros de interesse da escola.

 

 

Parágrafo Segundo:

 

A duração do curso de formação de Detetive Particular, não poderá ser inferior a seis meses e superior a um ano, e as apostilas deverão ser em números compatíveis às matérias constantes no curriculum do parágrafo anterior e aplicação de provas sobre cada matéria estudada, bem como a exigência  de exame de conclusão e recomendação de encaminhamento ao credenciamento no CDB.

 

Art. 2.

As escolas ou academias que não se enquadrarem nos requisitos e exigências desta Portaria, não serão referenciadas nas consultas feitas ao Conselho dos Detetives do Brasil, como também não poderão constar no site do mesmo como Instituição de Ensino idônea.

 

Art. 3.

Fica instituído para os cursos reconhecidos pelo CDB, um Selo de Qualidade que distinguirá as Escolas aprovadas e reconhecidas por esta instituição de classe profissional, visando erradicar os cursos desprovidos de competência e seriedade,  que deverão ser alijados do mercado de ensino da categoria.

 

Parágrafo Único:

 

As Escolas ou Academias que desejarem se submeter voluntariamente aos ditames desta portaria, terão o prazo de trinta dias para fazê-lo após tomar conhecimento formal desta, devendo manifestar-se por escrito consentindo no reconhecimento e apresentar um exemplar completo do seu material didático à comissão avaliadora.

 

Publique-se e Registre-se.

 

Conselho dos Detetives do Brasil, Curitiba-PR,  aos 24 dias do mês de Fevereiro do ano de 2011,  e 24 anos da sua fundação.

 

 

 

Det. Walmir Battu – CDB 0400

Presidente do Conselho dos Detetives do Brasil

 

 

Copyright © 2002 www.conselhodosdetetivesdobrasil.org Todos os direitos reservados.
Leia a política de privacidade do Conselho dos Detetives do Brasil